chamada serigráfica

Já sabe o que é, quando vai rolar, que você pode participar, quanto custa,

mas vamos a maiores explicações e dúvidas!

Quem é o impressor?

O nome do impressor é Daniel Barbosa, que trabalha há mais de 14 anos com produção gráfica de projetos editoriais e serigráficos em seu ateliê, o Caderno Listrado. A sede fica em São Paulo. Nesses anos todos Daniel já imprimiu de um tudo. Desde lambe lambe, capas de discos de vinil, cartazes de tudo que é formato, livros inteiros - do miolo à capa - madeira, plástico, vidro, camiseta, bandeiras e até paredes, tiragens de provas únicas para projetos publicitários e artísticos, além de tiragens de mais de 5.000 impressões para editoras de médio porte.

Porque raios o Daniel quer imprimir uma tiragem por dia? 

Em 2019, o ateliê Caderno Listrado recebeu quase 200 pedidos de orçamentos para projetos serigráficos, vindos de todas as regiões do Brasil. No final deste ano, o impressor percebeu que desta quantidade toda de contatos, pouco mais de 60 projetos receberam tinta. E mais ainda, cerca de 90% desses contatos eram de pessoas ou coletivos de arte, literatura, quadrinhos, fotografia, editoras e muiiiiiiiiiitos artistas independentes e ilustradores.

Mais de 130 projetos, já com as artes finalizadas ou quase lá, não foram concretizados por uma simples questão. Grana! E não que o Daniel cobre caro, não é isso. Fato é que o momento não está fácil para ninguém e muito menos pra classe artística desse país.

Mas como será que é possível que todas essas artes sejam impressas? Qual a fórmula?

O nome da fórmula é planilha de excel, boa vontade e, claro, um pouco de maluquice também. 
Mas no final das contas o raciocínio é muito simples e não tem nada de inovador.

Os valores passados para esses contatos são sempre calculados por projeto, que levam em consideração o número de cores, o formato do papel, o tipo do papel, a tiragem e a complexidade da arte, em termos técnicos. Aí os custos se elevam e muiiiiiiitas das pessoas não conseguem ter seus projetos impressos, pelo menos não num primeiro momento. 

A saída é fazer o seguinte:
Se os projetos não estão saindo por que são calculados individualmente, vamos criar uma espécie de padrão de produção e tentar fazer com que o maior número de pessoas possam pagar por esse trabalho. 

E qual seria esse padrão?

Depois de analisar todos os projetos realizados ou não de 2019, definiu-se o seguinte padrão:

1º Tipo de papel mais utilizado - Markatto Edition Bianco 200g (Fedrigoni)
2º Formatos mais pedidos - 3 opções
3º Número máximo de cores - até 4
4º Tipo de tinta - vinílica fosca.
5º Tiragem - 35 cópias por arte

Agora explica o pq dessas escolhas.

Tá:


1º Tipo de Papel - O Markatto Edition Bianco é um papel da Fedrigoni, umas das maiores e mais bem conceituadas fábricas de papel do mundo, foi o tipo de papel escolhido mais utilizado nos projetos realizados em 2019 e o maior fator dessa escolha é o custo benefício desse material, se comprado em pacotes e não em folhas avulsas. É um papel de muita qualidade e também é fantástico para impressão serigráfica. Ele é de cor branca e tem um toque aveludado, que faz o fosco da tinta serigráfica ganhar em termos de cobertura e definição.

 

2º Formatos mais pedidos - Os formatos mais pedidos foram também, e não teria porque ser diferente, derivados do A4, o A3 e o A2, que chamamos de grande formato. Esses formatos são os mais utilizados por nós brasileiros, sejam em projetos artísticos, publicitários e editoriais. Enfim, são os formatos que qualquer um pode comprar em lojas não muito especializadas.

 

3º Número mínimo e máximo de cores - Em termos de produção e custos, quanto mais cores, mais caro é o projeto, pois na serigrafia, assim como em outras técnicas de impressão artesanal, as cores são impressas em camadas, ou seja, uma depois da outra. No caso da serigrafia, para cada cor é necessário a gravação de uma tela. Se temos uma arte com duas cores, temos que ter duas telas e se temos quatro cores, temos que ter quatro telas. Foram raros os casos dos projetos que chegaram até o ateliê com mais de quatro cores. Ou seja, um é bom, dois é bem bom, três é massa, quatro é muito massa e cinco é exagero. Sem falar que a serigrafia permite muitas sobreposições de cores, o que deixa os trabalhos mais incríveis e também mais viáveis do ponto de vista de produção e, consequentemente, financeiramente mais baratos.
 

4º Tipo de tinta - A tinta serigráfica do tipo vinílica fosca é o insumo que mais gostamos de trabalhar. A recepção dela sobre o papel escolhido tem resultados muito bons. Não vamos trabalhar com tintas especiais, como brilhantes e de secagem UV, pois esses processos requerem outros tipos de substratos e, às vezes, maquinários industriais para produção.
Obs: Tintas fluorescentes e de sobreposições, assim como as metálicas dourado e prata são sempre bem vindas!

 

5º Tiragem - Como a maior parte dos trabalhos que chegam até nós são com fins “lucrativos”, ou seja, o povo vende mesmo, nossa tiragem mínima de produção é de 30 cópias por arte e percebemos que poucas pessoas fizeram mais ou menos do que essa quantidade. 

Por que 35 cópias e não 30 por tiragem?

Muitas vezes, para facilitar a negociação, nós propomos aos artistas uma “quase troca”. Imprimimos uma tiragem de, por exemplo, 35 cópias e ficamos com 5 dessas em troca de um desconto. Assim nós poderíamos comercializar essas artes em feiras e na loja virtual da Caderno Listrado. O combinado sempre foi de vender pelo valor estipulado pelos autores, para não criar concorrência e também sempre citando a autoria da obra.

E no caso da Chamada Serigráfica vai ser esse mesmo esquema?

Sim. A Chamada Serigráfica é um projeto independente, que a princípio não tem nenhum tipo de patrocínio, público ou privado. Talvez isso mude durante o projeto, caso alguma marca se interesse, mas por enquanto, nós contaremos apenas com vocês. Uma das maneiras de custear a produção dessas tiragens é podendo comercializar um pouco das tiragens impressas. Além, também, de ajudar a divulgar ambos os trabalhos, tanto o do ateliê Caderno Listrado quanto dos artistas que participarem do projeto. Lembrando que o valor das obras a serem vendidas será estipulado pelos autores e sempre citaremos a autoria dos trabalhos, onde quer que elas sejam vendidas.

Como mando minhas artes para aprovção?

No formulário de inscrição da arte, você pode anexar um PDF ou JPG, em baixa mesmo, só pra gente poder fazer a análise técnica e verificar se a arte precisa ou não de algum ajuste pata impressão serigráfica. Após aprovação técnica e pagamento, é necessário fazer o fechamento do arquivo para impressão. Que é moleza! 

Se eu não souber fechar a arte para serigrafia, vocês fazem isso?

Talvez. Acho que seria impossível nós fecharmos todos os arquivos para impressão e por isso vamos enviar um passo a passo detalhado de como os arquivos devem ser fechados para o upload final. Caso você não consiga fechar seu arquivo, nós batemos um papo e agilizamos isso, mas tutoriais e amigos sempre podem ajudar nessa etapa do seu projeto.

Eu sei fechar arquivos em PS e AI e meu trabalho é todo digital, como que eu faço?

Aí é fácil! Você deve seguir o passo a passo de fechamento do arquivo e seguir em frente. Se tiver fontes, mesmo as básicas, você deve mandar também junto com o arquivo das artes.

E se eu tiver um desenho em papel?

Você terá que escanear o desenho, fazer o tratamento da imagem e depois seguir o passo a passo de fechamento de arquivo. Moleza também.

Posso enviar meu desenho pelo correio e você faz fecha o arquivo pra mim?

Não. Nós só aceitaremos arquivos digitais.

E com relação às referência de cores das artes?

Vamos fazer como sempre fazemos. Vocês devem mandar a arte colorida e confiar no nosso bom senso. Caso tenham uma referência do tipo “amarelo dos correios”, a gente vai até o correio mais próximo e tenta chegar o mais próximo da cor desejada. Mas pela nossa experiência, essa é uma questão bem fácil de resolver e todo mundo ficar feliz com o resultado.

Quantas artes eu posso mandar?

Quantas você quiser. Só que cada uma deve ser enviada em um formulário individual, para que a gente possa se organizar com relação aos ajustes e também o cronograma de impressão. 

Eu tenho uma série com 3 artes na mesma linha. Posso enviar uma série?  

Pode sim, desde que cada uma dessas artes seja enviada individualmente pelo formulário.

E o pagamento?

Nós vamos usar a loja da Caderno Listrado para isso. Depois que a(s) arte(s) forem aprovadas você irá receber um link  para poder fazer o pagamento referente à sua escolha. Aí você já escolhe como quer pagar, se por boleto, crédito ou débito.

Como será feito o envio dessas tiragens?

No valor da tiragem que você escolher já está contido o valor para o frete até sua cidade (Brasil).

Todos as tiragens serão postadas via Correios e os códigos de rastreio serão enviados para que vocês acompanhem.

Como será feito o cronograma de impressão?

O Cronograma será feito por ordem de chegada. Vamos preenchendo as datas de impressão na mesma ordem em que os arquivos finais forem chegando até nós. Iremos disponibilizá-lo via Google Docs para acompanhamento de todos os participantes.

caderno listrado

São Paulo - SP / Brasil

contato@cadernolistrado.com.br

  • Instagram - Grey Circle
  • Pinterest - círculo cinza
  • Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle